COVID-19: PAICV PEDE REALIZAÇÃO DE TESTES PARA A CIRCULAÇÃO DE PESSOAS ENTRE AS ILHAS

O PAICV defende a realização de testes para a circulação de pessoas entre as ilhas para impedir o aumento de casos de infecção no País e insta o Governo a tomar medidas para obstar a propagação do vírus.

A nível internacional, o maior partido da oposição disse que o País deve ir ao encontro das convenções e das normas internacionais, mas que todos os cuidados devem ser tomados para evitar que a propagação ultrapasse as capacidades de resposta.

Esta posição foi manifestada a imprensa no final da manhã de hoje Líder do Grupo Parlamentar do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (GP-PAICV), no balanço das jornadas parlamentares que arrancam esta quarta-feira e que terá como pontos altos um debate com o primeiro-ministro, Ulisses Coreia e Silva, sobre medidas pós-emergenciais para as famílias e empresas.

“Com a situação que temos, com o crescimento permanente de casos de infectados pelo covid-19, temos preocupações especiais. Achamos que a economia não pode parar, que o País não pode ficar fechado eternamente, mas achamos que devem ser tomados todos os cuidados necessários para impedir que as ilhas que não estejam infectadas sejam infectadas pela via de circulação”, explicou Rui Semedo.

O Líder Parlamentar disse que o Governo deve tomar todas as medidas, como controlo, fiscalização e testes, para que as ilhas isentas de casos da covid-19 não venham a ter o vírus, e sugere ainda a realização de “quarentenas se houver dúvidas”.

O PAICV ainda vai debater a questão da alteração dos estatutos da Autoridade Reguladora para o Sector da Comunicação Social (ARC), por considerar importante face às funções especiais para a intensificação e a consolidação da democracia cabo-verdiana, como o garante da isenção, pluralismo e liberdade de imprensa.

Considerou que esta alteração vai ser uma oportunidade de dotar a ARC de meios técnicos, legais e financeiros para cumprir “da melhor forma” o seu papel, sublinhando que ainda o PAICV tem preocupações neste aspecto, para que a instituição possa exercer a sua competência com todos os meios, de forma a melhorar a capacidade de regulação.

Quanto ao debate com o chefe do Governo, Rui Semedo referiu-o como um momento “sempre importante” do parlamento, prognosticando uma discussão que versará a questão do quadro de emergência por que vive o País e também no quadro pós emergência, afirmando ser uma oportunidade para debater o momento especial em que vários aspectos devem ser afinados.

A questão sanitária do País, assim como as económicas e sociais foram reveladas por Semedo como as problemáticas que exigem a continuidade de investimento na prevenção, sensibilização e mobilização dos cabo-verdianos, e de continuar a investir no “aprimoramento e aperfeiçoamento” dos mecanismos de articulação institucional para fazerem face ao combate à pandemia.

Fonte: Inforpress