Covid-19/Abertura dos aeroportos: PAICV receoso se foram acauteladas todas as condições

Cidade da Praia, 13 Out (Inforpress) – O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição) disse hoje, através do seu líder parlamentar, Rui Semedo, estar preocupado se foram acauteladas todas as condições antes da reabertura dos aeroportos internacionais.

“A questão de abertura das nossas fronteiras deveria acontecer mais cedo ou mais tarde, porque não podemos ficar isolados no mundo e todos os países do mundo estão a criar condições para a abertura das suas fronteiras”, disse Rui Semedo.

O líder parlamentar do PAICV falava em conferência de imprensa na Cidade da Praia para fazer o balanço das jornadas parlamentares que antecedem a primeira sessão plenária de Outubro, que arranca esta quarta-feira.

“O que nos preocupa é se estão acauteladas todas as condições para que esta abertura não signifique à partida, a abertura também ao aumento dos casos de infecção. Neste caso, preocupa-nos se o Governo não estará a tomar as medidas necessárias para garantir a segurança sanitária para todos os cabo-verdianos, mas também para aqueles que nos visitam”, acrescentou.

O anúncio do reinício dos voos comerciais internacionais a partir de segunda-feira, 12, ao fim de quase sete meses, foi feito na sexta-feira, em São Vicente, pelo ministro do Turismo e Transportes, Carlos Santos, indicando que os passageiros estão obrigados a apresentar testes negativos para a covid-19 com pelo menos 72 horas de antecedência da viagem.

Cabo Verde estava fechado a voos comerciais internacionais desde 19 de Março, devido à pandemia de covid-19, tendo inicialmente anunciado a retoma em 30 de Junho, mas com o recrudescer de casos, tanto na Europa como nas ilhas, a retoma foi adiada para a segunda quinzena de Agosto.

Desde 01 de Agosto que está em vigor um corredor aéreo para voos essenciais entre Lisboa (Portugal) e as ilhas de Santiago e de São Vicente, operados regularmente por duas companhias portuguesas (TAP e SATA) e que obrigam os passageiros, nos dois sentidos, a apresentar testes negativos para covid-19 realizados com pelo menos 72 horas de antecedência.

Fonte: Inforpress