Campus Uni-CV “é ambicioso” e uma aposta do Governo anterior numa sociedade de conhecimento – presidente do PAICV

Cidade da Praia, 08 Jul (Inforpress) – A presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição) considerou hoje o projecto campus da Uni-CV “ambicioso” e afirmou se tratar de uma aposta do governo anterior numa sociedade de conhecimento para promover a competitividade do país.

Janira Hopffer Almada fez essa afirmação em declarações à imprensa, após visitar as obras do novo campus da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), em Palmarejo Grande, Praia, no âmbito da preparação do debate sobre o Estado da Nação, que acontece no final do mês.

“Trata-se de um grande projecto e quando o governo anterior decidiu avançar com a ideia do campus Uni-CV tinha em vista os objectivos do país, que deve continuar a ter uma aposta clara e séria numa sociedade de conhecimento para promover a competitividade”, disse.

Após esta afirmação a presidente do PAICV, sublinhou que para ser-se uma sociedade de conhecimento é preciso apostar na qualidade e relevância do ensino.

E nesta óptica de ideia, segundo Janira Hopffer Almada, o projecto, que está orçado em 30 bilhões de escudos cabo-verdiano e tem capacidade para albergar cerca de cinco mil estudantes, deve, acima de tudo, conseguir estimular a aprendizagem, o ensino, a inovação e a investigação.

E porque o ensino superior deve merecer do Governo necessária atenção e prioridade, a dirigente do PAICV realçou que o partido quer perguntar sobre qual o desafio do país neste sector.

Isso porque, observou Janira Hopffer Almada, apesar do avanço, nos últimos anos, a educação sofreu corte nas bolsas de estudos, nos apoios socioeducativo aos estudantes carenciados, o que, no seu entender, põe em causa os ganhos no acesso e democratização do acesso ao ensino superior.

Ainda no que refere a qualidade do ensino superior, a presidente do principal partido da oposição admitiu que a aposta “deve ser clara”, começando num “investimento forte” na sociedade de conhecimento através de uma sociedade de informação.

Para além desta aposta, aponta ainda a necessidade de se pensar no avanço do ensino superior a outras ilhas para que todos os jovens tenham possibilidade de estudar sem terem de deslocar-se.

“É preciso planificar tudo isso. Num país arquipelágico como o nosso é preciso pensar-se numa universidade aberta para que, através das tecnologias de formação e comunicação, os jovens de outras ilhas possam estudar”, indicou.

Quanto a investigação, Janira Hopffer Almada é de opinião que o Governo deve priorizar programas que estimulem a pesquisa visando alcançar a inovação, e criar programas de formação para que os cabo-verdianos possam ceder a programas de investigação financiados por organismos internacionais.

Além das obras da Uni-CV, a presidente do PAICV visitou, em Assomada, Santa Catarina, a Universidade de Santiago para inteirar-se dos desafios ainda existentes e das perspectivas equacionadas face às dificuldades emergentes.

Isso porque, para o PAICV, o desenvolvimento de Cabo Verde “passa, impreterivelmente, por um ensino e uma formação profissional, de excelência, capazes de munir a juventude de ferramentas e conhecimentos essenciais para alavancar o desenvolvimento do país”.

Fonte: Inforpress