Câmara da Boa Vista aguarda visto do Tribunal de Contas para retomar obras do Largo Santa Isabel – presidente

Sal Rei, 24 Nov (Inforpress) – O presidente da câmara da Boa Vista anunciou que a autarquia assinou novo contrato para construção da Praça de Santa Isabel, em Sal Rei, e que aguarda pelo Tribunal de Contas (TC) para retomar as obras.

Cláudio Mendonça avançou esta informação à imprensa, na sequência de afirmações da deputada do MpD pelo círculo eleitoral da Boa Vista, Elisabete Évora, que afirmou que a câmara local tem passado a imagem de que a obra da construção da Praça de Santa Isabel é da responsabilidade do Governo.

“Não faz sentido estando à frente da câmara transferir responsabilidades municipais ao Governo”, disse, alegando que mesmo que estivesse a agir neste sentido, seria para deixar o Governo ciente de que tem responsabilidade na ilha, nomeadamente em questões de infra-estruturação.

Cláudio Mendonça reafirmou que a sua equipa “sabe determinar bem” quais as obras do Governo e as de responsabilidades do município, frisando que o “comprometimento do desenvolvimento da ilha é de todos”.

Por isso, o autarca vê no Governo um parceiro para desenvolvimento da ilha, ajudando a resolver problemas da Boa Vista, inclusive os relacionados com a obra da Praça de Santa Isabel.

“Isto de que estarmos a transferir responsabilidade para o Governo é do critério, da auto-criação ou do entendimento, ou mesmo a forma como a deputada do MpD apercebeu-se das coisas”, apontou, negando ter demarcado das responsabilidades da câmara, que tem autonomia financeira para gerir o município.

Até porque, conforme relembrou, não foi o Governo que fez o anúncio do concurso, não escolheu o empreiteiro e nem rescindiu o contrato com a primeira contratada, procedimento último efectuado pela câmara, em Maio.

Pelo que, evidenciou, “não é preciso escamotear as coisas”, ao mesmo que advertiu não fazer sentido as afirmações de Elisabete Évora, na medida em que a Sociedade de Desenvolvimento das Ilhas Turísticas da Boa Vista e Maio (SDBVM) é o financiador do projecto, e a câmara dono da obra.

Mendonça pediu ainda à deputada que identifique factos e precise o período em que se deixou transparecer que a obra é do Governo.

Tanto que, continuou, se fosse do Governo previu que, neste caso, os munícipes estariam a atacar o Governo e não a câmara.

Por outro lado, sem certificar uma data certa, garantiu que a obra será retomada “brevemente”, isto porque, conforme avançou, já assinou um novo contrato com a segunda empresa da lista do concurso inicial para execução da obra.

Indicou que a câmara assumiu todo o processo enviado ao Tribunal de Contas e que agora aguarda pelo visto desta instituição para a retoma da construção.

“Definimos como intenção máxima começar para breve, a curto prazo, e se for possível amanha”, declarou Cláudio Mendonça.

O autarca disse ainda que os munícipes poderão ver algumas alterações no projecto porque, explicou, embora não tenha sofrido “alterações profundas” e nem na sua essência, contudo “em alguns itens”, sobretudo devido a mudanças no pacote financeiro, vão se registar alterações.

“O projecto que foi contratado com a primeira empresa era de 160 mil contos, enquanto o próximo empreiteiro, segundo classificado do concurso inicial, terá um valor de 173 mil contos”, contou, contabilizando diferença e aumento de 13 mil contos.

Por fim, Cláudio Mendonça reafirmou que pretende manter o prazo de execução da obra, mas que vai, entretanto, negociar com a empresa, no sentido de “maximizar esforços” para que, pelo menos em Julho do próximo ano haja algum espaço para se conviver na Praça Santa Isabel.

VD/AA

Fonte: Inforpress