Brava: Deputados do PAICV responsabilizam dirigentes do MpD pelo “não funcionamento” da Assembleia Municipa

Nova Sintra, 09 Mar (Inforpress) –  Os deputados municipais do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição) queixam-se da “não funcionalidade” da Assembleia Municipal da Brava, acusando os presidentes da câmara e da assembleia de não marcar a sessão de Fevereiro.

Em nota enviada à Inforpress, a bancada do PAICV acusou a dirigente da bancada do MpD (poder) e o presidente da Câmara Municipal da Brava de “não estarem a cumprir” com as suas obrigações, enquanto fiscalizadores do município, inclusive, de não marcar as reuniões obrigatórias e ordinárias até esta dada.

De acordo com a mesma nota, até este momento não foi agendada a reunião da Assembleia Municipal que deve “ser obrigatória”, acusando os dirigentes da oposição de “preferiram brincar o Carnaval ao invés de cumprirem a lei”.

Além disso, acrescentaram que o presidente da câmara ainda não apresentou o relatório das actividades da câmara municipal à Assembleia Municipal, realçando que tal está estipulado no artigo 75º da Lei n.º 134/IV/95, de 03 de Julho, do Estatuto dos Municípios.

“A lei diz que é obrigatório convocar a reunião no mês de Fevereiro e mais uma vez, mais um ano passa e estas duas entidades que recebem todos os meses o dinheiro do povo, ficam sem prestar contas ao povo”, realçou a mesma nota

Perante tais factos, os deputados do PAICV questionam o que é que estão a “esconder” para impedir os deputados municipais do MpD de não marcar a reunião.

É neste sentido que os deputados municipais do PAICV “alertam” a opinião pública de “mais este atropelo” à lei, enfatizando que estão “preocupados” com o facto de ter pessoas a “receber bons salários” e a “não cumprir com as suas obrigações”.

Os deputados municipais do PAICV consideram que as pessoas em causa estão a “brincar com o dinheiro do povo”, pois ambos os denunciados “recebem salários mensais” para trabalharem em prol do órgão e do município, tendo responsabilidades no decorrer das suas funções.

Fonte: Inforpress