Boa Vista em ebulição: Alunos e encarregados da educação ameaçam com manifestação por falta de professores e sindicalista questiona ministra da Educação

A ilha da Boa Vista está em ebulição por causa da grave situação por que passa o ensino local. Por isso, alunos, pais e encarregados de educação ameaçam paralisar as aulas e partirem para manifestação pela ruas de Sal Rei, caso até esta quarta-feira, 28 de Novembro, o Ministério da Educação (ME) não resolva os constrangimentos existentes. A par da falta de vários manuais a nível nacional, em causa está sobretudo a carência de professores para os diferentes níveis de ensino secundário na ilha. Diante desta crise, um associado local do Sindicato Nacional de Professores (SINDEP) ouvido por este jornal questiona onde se encontra a ministra da Educação Maritza Rosabal e o Governo de Ulisses Correia Silva.

O sistema de ensino público vai de mal a pior na ilha das Dunas. Alunos, docentes, pais e encarregados da educação denunciam estar descontentes com a falta de professores para os diferentes níveis da escolaridade e disciplinas no liceu na ilha. Diante da incapacidade do Ministério da Educação tutelada por Maritza Rosabal em resolver esse problema, ameaçam paralisar as aulas e partirem para uma manifestação pelas ruas da cidade de Sal-Rei. Isto, caso até esta quarta-feira o ME não encontre uma solução para o caso em apreço…

Desorganização do ME e falta de manuais

Mas a desorganização do Ministério da Educação não fica por aí. Segundo um associado local do SINDEP, a par da falta de professores nas várias ilhas de Cabo Verde, há ainda um problema muito mais grave: a inexistência de vários manuais escolares para alunos.

«Esta situação está afetar sobretudo alunos do ensino básico, que estão a estudar em fichas fotocopiadas (custo fica maior para os pais) por falta de livros. Isto começa já a ter impacto negativo nos resultados escolares de muitos alunos em várias escolas do país», fundamentou.

Para o mesmo docente sindicalista, depois da grande falha registada com os erros cometidos na edição dos manuais escolares no ano passado, agora há o problema de falta de livros no mercado. Face a tudo isto, o interlocutor referido questiona onde se encontra a Ministra da Educação que tem a responsabilidade de gerir o sector de ensino, em sintonia com o chefe do Governo, Ulisses Correia e Silva.

Fonte: Asemana