Autárquicas/Porto Novo: Candidato do PAICV promete campanha tranquila, do civismo e de troca de ideia

Porto Novo, 08 Out (Inforpress) – O candidato do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) à presidência da Câmara Municipal do Porto Novo, Santo Antão, Nilton Dias, prometeu, hoje, promover “uma campanha tranquila”, marcada pelo “civismo e troca de ideias”.

Nilton Dias, que falava num encontro com os seus apoiantes, na madrugada desta quinta-feira, no espaço da Aldeia Cultural, cidade do Porto Novo, desejou que a campanha eleitoral decorra num “clima de tranquilidade, de civismo e, sobretudo, que troca de ideias, de apresentação de propostas e de projectos de desenvolvimento do município do Porto Novo”.

Estas eleições, segundo Nilton Dias, podem marcar “uma mudança na forma de fazer política” no concelho do Porto Novo, onde, a seu ver, é “preciso resgatar a câmara municipal” e colocá-la “ao serviço de todos os munícipes”.

“Acreditamos que é preciso mudar forma de fazer política no Porto Novo. É preciso resgatar a câmara municipal para todos os munícipes”, notou o candidato do PAICV a presidente desta câmara, que acusou a equipa cessante de ter desencadeado, nos últimos quatro anos, uma política discriminatória.

“Todos os porto-novenses são importantes para desenvolver o município. É de nós todos a responsabilidade de trabalhar, afincadamente, para que todos se sintam que a câmara é, realmente, de todos e não de algum grupo”.

Nos seus contactos que tem mantido com o eleitorado, Nilton Dias disse sentir “uma grande vontade de mudança na forma de fazer politica” neste município, pretendendo, por isso, “contar com todos” para que Porto Novo possa dispor de “uma câmara que não discrimina ninguém”.

Caso vença as eleições autárquicas de 25 de Outubro, Nilton Dias terá o emprego como a sua “primeira prioridade” para que “todo o porto-novense, da cidade ao interior do concelho, possa viver bem nas suas próprias localidades.

“Não queremos ver os jovens sair deste concelho por falta de oportunidades para ir a outras ilhas passar, muitas vezes, por dificuldades”, sublinhou.

O candidato do PAICV disse discordar da ideia de que “Porto Novo é um concelho pobre”, pois, o município tem turismo, agricultura, pecuária, mar e grande extensão de terrenos, que podem permitir o desenvolvimento de várias actividades de negócios viradas para os jovens e as mulheres.

Nas autárquicas de 2016, no concelho do Porto Novo concorreram dois candidatos, sendo Aníbal Azevedo Fonseca (MpD), que conquistou a câmara com 49,79% dos votos, e Rosa Lopes Rocha (PAICV), que obteve 46,78%.

Para as eleições do dia 25 de Outubro, em Porto Novo, estão inscritos nos cadernos eleitorais, provisoriamente, 13.270 eleitores (em 2016 o número de inscritos era de 12 506, dos quais 9.066 votaram), que escolherão, a 25 de Outubro, os órgãos autárquicos para dirigirem o município nos próximos quatro anos.

Participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 candidatos do PAICV, sete da UCID, dois do PP, sendo 1 no município da Praia e 1 para Assembleia Municipal na Boa Vista, e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal de Santiago (2), Praia (4), São Vicente (1).

Fonte: Inforpress