Autárquicas 2020/ São Vicente: “Canalona precisa de intervenção social muito grande”, defende Albertino Graça

Mindelo, 08 Out (Inforpress) – O candidato do PAICV à Câmara Municipal de São Vicente, Albertino Graça, defendeu hoje em contactos porta-a-porta em Canalona, Chã de Alecrim, que a zona precisa de intervenção social “muito grande”.

Ao abordar os eleitores de Canalona, o candidato, conhecido por “Titota” explicou que a zona é “uma da mais pobres de São Vicente” e por isso, precisa de uma intervenção “social grande, já manhã”.

Para Titota, a zona também precisa de saneamento que é uma das preocupações das pessoas de Canalona, caso contrário, observou, as pessoas “vão continuar a viver em condições pouco dignas”.

Aliás, ao falar com os eleitores,  Titota, que trajava camisa polo amarelo, máscara facial e sapatilha, mostrou-se descontraído por  ser “bem conhecido” nessa área que, diz, costuma visitar junto com o ex-presidente da Câmara Municipal de São Vicente, Onésimo Silveira,  para conversar com os amigos ao  mesmo tempo que constata as fragilidades e ouve suas reivindicações.

Por isso disse que levou aos eleitores uma mensagem de “confiança”, mas também “da necessidade de mudança”. É que na óptica do candidato do PAICV, as pessoas “estão desanimadas” e a sua candidatura quer mostrá-las que “não há razões para desânimo” porque a “ilha São Vicente tem futuro.”

“O sentimento é de vitória porque estamos a sentir uma adesão das pessoas, estamos a ser bem recebidos. Estamos animados e motivados, prontos para a vitória”, revelou o Titota, indicando que, durante os contactos porta-a-porta, a sua equipa “sentiu que há uma grande rejeição da população de São Vicente para com a actual gestão da câmara municipal.

“São motivos mais que suficientes para pensar que povo quer mudança”, projectou, o candidato do PAICV, para quem a ilha de “São Vicente continua estagnada, triste, enganada”.

Isto, sentenciou, por causa da “indiferença negligente dos governos central e autárquico”, que acrescentou, “vêm ignorando deliberadamente o desenvolvimento da ilha, esquecidos que São Vicente é um eixo indispensável ao desenvolvimento de Cabo Verde.

Para além de Albertino Graça (PAICV), concorrem ao cargo de presidente da câmara de São Vicente António Monteiro (UCID) Augusto Neves (MpD) e Nelson Lopes (Movimento Mas Soncent).

Nas autárquicas de 2016, em São Vicente, concorreram Augusto Neves, pelo MpD, que teve maioria absoluta na câmara com 48,97 por cento (%) dos votos, António Monteiro (UCID), que conseguiu 28,28%, e Alcides Graça (PAICV) que teve 20,75%.

Em São Vicente, para as eleições do dia 25 de Outubro, estão inscritos 52.686 eleitores (mais 884 em relação ao escrutínio de 2016), dos quais 177 cidadãos estrangeiros, distribuídos por 142 mesas de voto.

Participam na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista), e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal de Santiago (2), Praia (4) e São Vicente (1).

Fonte: Inforpress