Autárquicas 2020/São Miguel: PAICV pede maioria absoluta para governar “Por Amor a São Miguel”

Calheta, 18 Out (Inforpress) – O candidato do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição), João Carvalho, apelou sábado a maioria absoluta para governar “Por Amor a São Miguel e acabar com os abusos que ainda persistem no município.

João Carvalho, que percorreu, na tarde de sábado, as ruas traseiras das localidades de Veneza e de Ponta Verde, no centro da cidade, voltou a acusar a antiga equipa camarária, liderada por Herménio Fernandes, de “preocupar somente com as ruas dianteiras e abandonar as ruas de trás”.

Por onde passou ouviu as preocupações de alguns moradores desta localidade que dizem agastados com a governação do Movimento para a Democracia, alegando ainda persistir problemas relacionados com a habitação, o emprego, a falta de rendimento e gestão danosa de terreno.

A candidatura que se apelida de “onda de mudança” prometeu mudar a vida de todos que habitam em São Miguel e ainda fazer uma gestão camarária próxima dos micaelenses.

“Peço, mais uma vez, a todos os são micaelenses, para nos darem uma maioria absoluta, para não aceitaram os abusos que estão a ser feitos e para acordarem porque de abuso já está bom”, apelou.

João Carvalho aproveitou para alertar os micaelenses sobre os trabalhos que estão a decorrer neste momento no concelho, um acto que considerou de “caça aos votos”.

“O presidente da câmara substituto deve selar para o cumprimento das suas obrigações à frente de câmara e, principalmente, deve aproveitar para andar no BMW, que está fechado, e que não lhe deram o direito de andar nele. Nós estamos aqui “Por Amor a São Miguel”, disse, ajuntando que a sua candidatura quer ajudar todos os micaelenses a terem uma vida melhor, com melhor qualidade de vida e mais dignidade.

A sua candidatura, frisou, tem uma política de oportunidades centrada nas pessoas e nos sectores socioeconómico, tendo em conta o potencial de geração de emprego dignos, rendimentos e riqueza para todos os munícipes.

O PAICV aproveitou ainda para criticar o “abandono” do jardim-infantil de Veneza, a ausência de serviços essenciais como Tribunal e Centro de Emprego e formação profissional, nesta urbe que acolhe quase todos os serviços do concelho.

“São Miguel necessita de um modelo de gestão mais humano, focado nas famílias para o bem de todos. Este é o único projecto capaz de impulsionar e potencializar a economia do município nos próximos quatro anos”, finalizou.

Para além de João Carvalho do PAICV, concorre às eleições de 25 de Outubro o candidato do Movimento para a Democracia, Herménio Fernandes.

Nas eleições de 2016, concorreram, em São Miguel, três candidatos, tendo o MpD (Herménio Fernandes) conquistado a câmara com 4.146 votos (69,35%), o PAICV (Carla Carvalho) alcançado 1.518 votos (25,39%) e o PP (Alberto Correia) 125 votos (2,09%).

Para as eleições autárquicas de 25 de Outubro, em São Miguel, estão inscritos 10.218 eleitores (em 2016 o número de inscritos era de 9.468, dos quais 5.978 votaram).

A nível nacional, participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista), e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal de Santiago (2), Praia (4) e São Vicente (1).

Fonte: Inforpress