Autárquicas 2020/Santa Cruz: Carlos Silva condena rixa de quinta-feira e apela outro tipo de comportamento em democracia

Pedra Badejo, 17 Out (Inforpress) – O candidato do PAICV à liderança da Câmara Municipal de Santa Cruz condenou a rixa ocorrida na quinta-feira, levando ao reforço de policiamento na rua, e apelou aos apoiantes dos dois partidos para adoptarem comportamento mais cívico.

“A informação que temos é que houve elementos de outra candidatura que foi perturbar os nossos apoiantes na nossa sede e condenamos isso porque penso que devemos respeitar, até porque temos estado a evitar sempre passar na sede do Movimento para a Democracia (MpD), independentemente se está alguém ou não”, declarou Carlos Silva “Sueck”, que esteve na localidade de Santa Cruz em contacto com a população.

O candidato do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) à sua própria sucessão entende que é necessário um outro tipo de comportamento no processo eleitoral, tendo em conta que em democracia “quem mais ordena é o povo”.

“Não adianta sair com actos de intimidar pessoas e de agressividade”, defendeu, salientando que o povo de Santa Cruz tem na memória de que a candidatura do MpD “sobretudo da década de 1990, tem-se demonstrado muito agressiva”.

Por outro lado, explicou que de 2000 a esta data, as eleições têm decorrido no concelho em um “ambiente tranquilo, saudável e sereno” e diz estranhar “situações de agressividade com esta candidatura adversária”, que, conforme mencionou, “não é nova”.

Neste sentido, apelou à liderança adversária para instruir os seus apoiantes no sentido de haver uma campanha mais “tranquila” e com respeito ao adversário.

“Da nossa parte vamos de fazer de tudo para os nossos apoiantes comportarem bem”, garantiu.

Na zona de Ribeirão égua, pertencente à localidade de Santa Cruz, Carlos Silva afiançou que as principais reivindicações da população têm a ver com a acessibilidade e o prometeu trabalhar no próximo mandato para asfaltar a estrada de acesso àquela povoação.

Segundo ele, a população daquela localidade ficou afectada com a desactivação de Justino Lopes na década de 1990, altura, que, conforme indicou era o seu adversário do MpD, Pedro Alexandre que estava na liderança da câmara municipal.

“Ele não soube dar atenção e valorizar este grande potencial que consideramos ser o motor da economia do concelho”, lamentou.

O candidato do PAICV prometeu, também, atender as solicitações da juventude local no que diz respeito à ligação da internet.

Nas eleições de 2016, as sétimas realizadas em Cabo Verde para escolha dos titulares dos órgãos municipais do concelho de Santa Cruz, concorreram dois candidatos, tendo o PAICV (Carlos Silva) conquistado a câmara com 5.542 votos (50,30%) e o MpD (Manuel da Luz Tavares) obtido 5.227 votos (47,44%).

Para as eleições autárquicas de 25 de Outubro, em Santa Cruz, estão inscritos nos cadernos eleitorais 17.137 eleitores (em 2016 o número de inscritos era de 15.866, dos quais 10.726 votaram).

A nível nacional, participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (1 no município da Praia e 1 para Assembleia Municipal na Boa Vista), e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal de Santiago (2), Praia (4) e São Vicente (1).

Fonte: Inforpress