Autárquicas 2020/Santa Catarina: Vamos criar mecanismos que permitem à AM funcionar com total independência – PAICV

Assomada, 14 Out (Inforpress) – O candidato do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) à Assembleia Municipal de Santa Catarina, garante que a equipa vai criar todos os mecanismos para que o órgão funcione com total independência.

Ermelindo Fernandes relembra que, actualmente, o trabalho da Assembleia Municipal depende da câmara, já que “é câmara que faz o desbloqueio de verbas e pode, a qualquer momento, bloquear o trabalho feito pela assembleia”.

Na sua opinião, neste momento “não estão garantidas as condições materiais e logísticas para a assembleia funcionar bem”.

No seu discurso, Fernandes faz crer que nem todos os candidatos estão preparados para assumir o cargo.

“Tem de ser alguém que consegue congregar as diversas forças políticas, que tem habilidade para resolver problemas e os diferendos, que são constantes numa assembleia”, afirma.

Segundo ele, não pode faltar, ainda, formação “política, moral e intelectual” a esta personalidade, qualidades que garante estar reunidas com a sua candidatura.

Como prioridade destaca a necessidade de se constituir uma “assembleia com maturidade suficiente para não bloquear a câmara”.

Confrontado com a possibilidade de a liderança da câmara e da assembleia pertencerem a forças políticas diferentes após as eleições de 25 de Outubro, Fernandes afasta qualquer possibilidade de tal facto acontecer, mostrando-se confiante na vitória do PAICV para os dois órgãos.

“A equipa do PAICV à câmara municipal tem um programa, que também nós, os candidatos à assembleia, partilhamos. Tem o nosso aval. Há compromissos que o candidato à câmara está a assumir com a população e que terão, necessariamente, que ser cumpridos. A nossa missão será velar pelo cumprimento desses compromissos. Se houver desfio, nós seremos atuantes”, garante Fernandes.

Ermelindo Fernandes afirma que a equipa do PAICV que concorre à Assembleia Municipal tem maturidade suficiente para fiscalizar as acções do seu próprio partido à frente da câmara, não havendo possibilidade de corporativismo.

Nas autárquicas de 2016, as sétimas realizadas em Cabo Verde para escolha dos titulares dos órgãos municipais, no concelho de Santa Catarina concorreram dois candidatos, tendo o MpD (José Alves) conquistado a câmara com 7.705 votos, (49,86%), e o PAICV (Alcídio Tavares) alcançado 7.289 votos (47,17%).

Para as autárquicas de 25 de Outubro, estavam inscritos nos cadernos eleitorais, provisoriamente, 26.574 eleitores (em 2016 o número de inscritos era de 24.398, dos quais 15.452 votaram).

A nível nacional, participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista) e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal de Santiago (2), Praia (4) e São Vicente (1).

Fonte: Inforpress