Autárquicas 2020/Porto Novo: Candidato do PAICV acusa MpD de estar a esbanjar dinheiro na “compra de consciência”

Porto Novo, 18 Out (Inforpress) – O candidato do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) a presidente da câmara do Porto Novo acusou, sábado, o seu adversário do Movimento para a Democracia (MpD) de estar “a esbanjar muito dinheiro” nesta campanha eleitoral.

Nilton Dias, que esteve em contactos com a população do Tarrafal de Monte Trigo, disse que durante esses quatros anos, o seu adversário que concorre à sua própria sucessão, teve à sua disposição “mais de três milhões de contos” e, mesmo assim, “abandonou as comunidades”.

“Uma câmara que geriu mais de três milhões de contos, mas que estamos a verificar que está, nesta campanha, a fazer um grande esbanjamento de dinheiro, que deveria ser investido nas populações”, sublinhou o candidato do PAICV.

Para Nilton Dias, a candidatura do MpD está a promover acções que demonstram “grande esbanjamento de dinheiro” que podia ajudar a resolver “muitos problemas” das pessoas nas diferentes localidades.

No caso do Tarrafal de Monte Trigo, este candidato acusou a equipa camarária, que geriu Porto Novo entre 2016 e 2020, de ter abandonado a zona de Covão, como “resultado da política de discriminação” praticada “pelo actual candidato do MpD”, que, avançou, “está preocupado apenas em esbanjar dinheiro em acções de campanha eleitoral para a compra de consciência das pessoas”.

“Como a zona de Covão sempre votou PAICV, a câmara municipal não fez nada para os habitantes desta localidade”, notou Nilton Dias, destacando as “péssimas condições” em que se encontra a estrada de acesso ao local, como “resultado da discriminação feita pela anterior equipa camarária”.

A candidatura do PAICV falou ainda das dificuldades por que passam os pescadores do Tarrafal em matéria de conservação do pescado e defendeu ainda a necessidade de se avançar com o muro de protecção dessa zona piscatória.

Em Monte Trigo, outra zona piscatória, o candidato do PAICV mostrou-se “preocupado” a “péssima qualidade de água” consumida pela população nessa aldeia e prometeu “trabalhar” para resolver esse problema, caso seja eleito.

Nilton Dias, que disse ter sido “recebido bem” no Tarrafal de Monte Trigo, afirmou pretender trabalhar com o Governo para a construção dos muros de protecção das zonas do Tarrafal e Monte Trigo e apoiar os pescadores na melhoria das condições de produção de gelo e de conservação do pescado.

Nas autárquicas de 2016, no concelho do Porto Novo concorreram os candidatos Aníbal Azevedo Fonseca (MpD), que alcançou 49,79 % dos votos, e Rosa Lopes Rocha (PAICV), que obteve 46,78 %.

Para as eleições do dia 25 de Outubro, em Porto Novo, estão inscritos nos cadernos eleitorais 13.324 eleitores (em 2016 o número de inscritos era de 12.506, dos quais 9.066 votaram), que escolherão, a 25 de Outubro, os órgãos autárquicos para dirigirem o município nos próximos quatro anos.

A nível nacional participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista, e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal de Santiago (2), Praia (4) e São Vicente (1).

JM/CP

Inforpress/Fim