Autárquicas 2020/Brava: Clóvis Silva diz-se convicto de que “abstenção vai ser menor” e terá “algum conforto” por parte do eleitorado

Nova Sintra, 15 Out (Inforpress) – O candidato do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) à Câmara Municipal da Brava, Clóvis Silva, diz sentir que no dia 25 de Outubro vai-se ter “menos abstenção e algum conforto” para a sua equipa por parte do eleitorado.

Clóvis Silva falava à imprensa na tarde de quarta-feira, onde fez um pequeno balanço do período de campanha, garantido que a sua candidatura está “confiante” porque estão a sentir alguma mudança nas pessoas.

“Temos uma confiança grande porque estamos a sentir que muitas pessoas que antes já estavam demonstrando desânimo, e cerca de 40 por cento (%) do eleitorado já não estavam a participar no voto, mas agora estamos a sentir que este sentimento já diminuiu muito e que as pessoas estão a fazê-lo porque tiveram conhecimento da nossa proposta”, disse o candidato convicto de que as coisas estão a melhorar.

A equipa do PAICV fez mais uma sessão porta-a-porta nas localidades de Santa Bárbara e Cova Rodela, com a intenção de auscultar as pessoas e levá-las uma “mensagem de esperança”, através dos projectos e propostas para cada uma destas zonas.

Para Braga, Clóvis Silva sublinhou que esta localidade possui “muitos problemas”, elencando a necessidade de trabalhar muros de protecção para a estrada que é um pouco íngreme, reabilitação e uso para o centro comunitário, necessidade de fazer intervenções nas habitações, principalmente para a construção de casa de banho, criação de espaço para que os jovens possam conviver, entre outros.

“É uma zona com pessoas muito idosas e que tem falta de apoios, principalmente em relação à promoção social, porque muitos não tiveram descontos durante o tempo que trabalharam, mas hoje em dia não beneficiam de nenhum tipo de apoio”, apontou o candidato, explicando que a intenção da equipa é restituir o sector da câmara para dar assistência a essas pessoas.

Igualmente, pretende reactivar a associação comunitária, e tentar criar uma certa dinâmica nos jovens, em relação ao trabalho voluntário que “é algo que se está a perder na Brava”.

Para Cova Rodela, uma zona um pouco mais movimentada, as propostas são a reabilitação dos caminhos vicinais, alguma campanha junto dos jovens sobre o uso excessivo do álcool, dinamizá-los para se organizarem em equipas e participarem nos campeonatos de futebol de salão e outras práticas, dinamizar a associação e enquadrar esta zona nas propostas gerais para a ilha.

Para as eleições autárquicas de 25 de Outubro, na Brava, estão inscritos nos cadernos eleitorais 4.683 eleitores, incluindo estrangeiros, distribuídos por 26 mesas de assembleias de voto (em 2016 o número de inscritos era de 4.435, dos quais apenas 2.836 votaram).

Nas eleições de 2016, as sétimas realizadas em Cabo Verde para escolha dos titulares dos órgãos municipais, concorreram neste concelho, o MpD (Orlando Balla), que conquistou a câmara com 1.673 votos (58,99%), e o PAICV (Manuel Gomes) 1.111 votos (39,17%).

A nível nacional, participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista) e mais 12 independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (um), de Santa Catarina (um), São Domingos (um), Tarrafal de São Nicolau (um), Sal (um) Tarrafal de Santiago (dois), Praia (quatro) e São Vicente (um).

Fonte: Inforpress