Autárquicas 2020/Brava: Candidatura do PAICV quer resgatar centralidade de Nossa Senhora do Monte

Nova Sintra, 19 Out (Inforpress) – O candidato do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) à Câmara Municipal da Brava, Clóvis Silva, disse que quer “resgatar” a centralidade que Nossa Senhora do Monte teve outrora.

A caravana do PAICV esteve este domingo entre o sol escaldante e alguns períodos nublados, característica da Brava, na localidade de Nossa Senhora do Monte, onde apresentou as propostas para esta freguesia e o “resgate da sua centralidade“ é o principal ponto que o partido quer devolver a comunidade.

“Nossa Senhora do Monte é uma das zonas que sempre teve centralidade, mesmo a nível da economia local, mas, infelizmente, com o tempo foi desinvestindo nesta localidade e quem ressentiu foi as pessoas mais idosas”, apontou o candidato.

Segundo Clóvis Silva fonte, com a pandemia da covid-19 a situação agravou-se, tornando mais visível a “instabilidade social” destas pessoas, reforçando que na ilha, “a pobreza e a extrema pobreza é o maior inimigo”.

Como motivo desta pobreza, apontou a “falta de oportunidade para os jovens, falta de actividades para gerar rendimentos no seio das famílias, irregularidade em matéria de chuva”, entre outros.

Daí, explicou que a sua candidatura vai investir em apoios na área da pecuária, pois explicou que a zona possui muitos criadores, mas o pasto e a água tem sido os maiores “calcanhar de Aquiles” da classe.

Neste sentido, sublinhou que a sua candidatura vai instalar uma fábrica de ração animal na zona, e apoiar as pessoas com a criação, na melhoraria das raças, para ver se as famílias passam a ter alguma actividade geradora de rendimento em casa.

Também, para melhorar a questão da pobreza, pretendem instalar nesta zona o Banco Alimentar e que vai ter alcance municipal, com o objectivo de “apoiar as famílias com cestas básicas periodicamente e anualmente até o fim do mandato”.

“É uma ilha que temos de investir no apoio social para às famílias, apoiar os filhos nos estudos, não só com transporte escolar, mas também com materiais”, disse o candidato, ressaltando que é preciso “resolver a questão da instabilidade financeira, investindo nos sectores que têm potencialidades na Brava”.

Sectores estes que destacou a pesca, pecuária e agricultura, mas com a ideia de ter sustentabilidade.

Também, avançou que vão investir no sector de formação profissional, mas nas áreas que garantem oportunidade de empregos e vai se estendendo na medida que tiverem investimentos.

Para as eleições autárquicas de 25 de Outubro, na Brava, estão inscritos 4.683 eleitores, incluindo estrangeiros, distribuídos por 26 mesas de assembleias de voto (em 2016 o número de inscritos era de 4.435, dos quais apenas 2.836 votaram).

Nas eleições de 2016, as sétimas realizadas em Cabo Verde para escolha dos titulares dos órgãos municipais, concorreram neste concelho, o MpD (Orlando Balla), que conquistou a câmara com 1.673 votos (58,99%), e o PAICV (Manuel Gomes) 1.111 votos (39,17%).

A nível nacional participa na corrida um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista) e mais 12 independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal (2), Praia (4) e São Vicente (1).

Fonte: Inforpress