Aumento dos preços de combustíveis, água e energia diminuiu poder de compra dos trabalhadores – UNTC-CS

A secretária-geral da UNTC-CS lembrou que o aumento salarial de 2,2% concedido em Janeiro deste ano abrangeu apenas uma pequena parte do pessoal do quadro comum

Aumento dos preços de combustíveis, água e energia diminuiu poder de compra dos trabalhadores – UNTC-CS
A secretária-geral da União Nacional dos Trabalhadores de Cabo Verde – Central Sindical (UNTC-CS), Joaquina Almeida, disse hoje que o aumento dos preços de combustíveis, água e energia, em Março, diminuiu cada vez mais o poder de comprados trabalhadores.

A sindicalista, que falava em conferência de imprensa convocada para apresentar o posicionamento da central sindical face a esses aumentos, classificou como “falsas” as declarações do Governo de que os recursos das famílias têm vindo a aumentar.

“Nada mais falso. Se o nível do desemprego continua alto e os preços dos produtos de consumo aumentaram da forma como tem acontecido, perguntamos ao Governo com base em quê que diz que os recursos das famílias têm aumentado”, questionou.

Joaquina Almeida sublinhou que factos e números têm confirmado uma “queda sistemática” de poder aquisitivo dos trabalhadores desde longa data e estima que de 2011, altura em que se fez o último aumento salarial geral na administração pública, a esta data, essa perda ascende a quase 10 por cento (%).

A secretária-geral da UNTC-CS lembrou que o aumento salarial de 2,2% concedido em Janeiro deste ano abrangeu apenas uma pequena parte do pessoal do quadro comum, excluindo a maior parte que são os trabalhadores em regime de contrato na função pública.

Ademais, acrescentou que há por parte do Governo uma tentativa de ignorar a reivindicação dos sindicados representativos no sentido da reposição do poder de compra dos trabalhadores.

“Está e uma triste realidade e nós enquanto central sindical não podemos ficar calados vendo os preços a aumentarem e os salários a manterem-se ‘ad aeternum’. Em nome da paz e da estabilidade sociais exigimos a reposição do poder de compra dos trabalhadores”, afirmou.

No início do mês de Março, a Agência Reguladora Multissectorial da Economia (ARME) anunciou a subida dos preços de combustíveis e, no dia 20 do mesmo mês, a dos preços de energia eléctrica e água.

Em ambos os casos a agência justificou a subida dos preços com o “aumento considerável” do preço dos combustíveis no mercado internacional no mês de Fevereiro, que obrigou as autoridades nacionais a reverem em alta os preços desses bens.

Fonte:Inforpress