Abraão e retirada para mais barbitchi ?

O pessoal da comunicação estatal diz estar preocupado com a retirada alegadamente estratégica do ministro da Comunicação Social. É que, segundo humorizam nas Redações, Abraão, depois de ter levado forte e feio no parlamento e por AJOC e pela Federação de jornalistas da CPLP, foi aconselhado para ficar de bico fechado durante algum tempo. Mas como o macinho de Ulisses não aguenta muito sem dar nas vistas, há quem esteja a prever a sua aparição em cheio, com mais «medidas de asneiras», como as de aprovar o Código da Ética dos trabalhadores da RTC contra a vontade dos jornalistas. Diante de tudo isto, um jornalista veterano observou para o Radar: – O MpD gosta de pôr «barbitchi» a jornalistas ou prego na língua dos críticos. Estejam com cuidado, porque o ministro pode estar também a preparar um Código de Ética para impor a média privada. Radar só regista o alerta!

Abraão e retirada para mais barbitchi ?
Líder das promessas mortas
Piatabola, um dos comentaristas mais famoso do fórum do Asemanaonline, elege o PM Ulisses Correia e Silva como sendo líder das promessas imortais. Com muito humor, escreveu: «MpD prometeu-nos um país que manava leite e mel, mas por fim ofereceu-nos feixes de ossos de cadáveres dos gados e fel com 1 (um) metro de beiços puxados!». E continuou: «Os planos do executivo de Ulisses em relação à formação e aos estágios profissionais dos jovens são capciosos, não passando de meros anúncios de medidas analgésicas, temporárias, aparentes e hipócritas para enganarem os jovens, a fim de que estes não protestem mais nas ruas contra o seu partido e governo. Para silenciá-los com chuchas na boca, engambelando-os, com medo dos protestos populares».

O Pitabola conclui o seu raciocínio, coroando o PM com folhas secas da bananeira biológica: «Ulisses deve ser, portanto, coroado com folhas e tripas secas da bananeira biológica pelos excelentes trabalhos que vem prestando a Cabo Verde, nomeadamente pelo cumprimento das suas promessas!». Que fique claro que esta análise é do Pitabola e não do Radar.

Carácter e deriva da oposição
Deriva interna é como alguns tambarinas qualificam os deputados que continuam a dar de banda para a maioria da Direita, viabilizando a proposta do MpD para a Regionalização do País sem reforma profunda do Estado. Para os mais críticos, mais feio foi a votação sim de Filú na última sessão parlamentar! Nos bastidores, há quem proponha um inquérito/averiguação para se saber o que está por trás de tudo isso: birra ou oferta de cargos pelo poder- Radar promete ficar atento a tudo isto.

Chateado si, um tambarina revoltado com o carácter do referido grupo, soprou para o Radar que esses parlamentares, próximos do chamado Grupo de Reflexão, já não dão confiança ideológica às bases do partido e devem ser corridos do partido, como fez o PS de Portugal: este correu com 300 dirigentes que resolveram concorrer contra este partido nas últimas autárquicas. Mas nôs boka ká sta lá, porque Radar não gosta de nada que cheira bronca ou radicalismo!

Fonte: Asemana